A startup americana Voodoo Manufacturing está nadando contra a corrente no mundo da impressão 3D, onde a produção de pequenos lotes de peças exclusivas são a norma. Essa startup está fazendo as coisas de forma diferente através da construção de uma micro-fábrica com dezenas de impressoras 3D que podem ser usadas para imprimir grandes quantidades de uma única peça, fornecendo todas as vantagens técnicas de produzir objetos que antes eram feitos em pequenos lotes.

Max Friefeld, Jonathan Schwartz e Oliver Ortlieb são os co-fundadores e ex-funcionários da Makerbot, empresa americana fabricante de impressoras 3D, e estão trabalhando na criação do Voodoo Manufacturing , um esforço para “combinar software e hardware para construir uma fábrica robótica de nova era”.

Digamos que você queria fabricar centenas de vasos decorativos. Você poderia fazer um molde e criar algumas centenas de vasos de plástico ou você poderia falar com Voodoo e eles poderiam imprimi-los em 3D por uma fração do custo. É assim que a Voodoo Manufacturing trabalha: você pode, essencialmente, produzir em massa peças impressas em 3D conectando várias impressoras de uma só vez. Essa é mais uma amostra da Revolução Industrial 4.0 que em 10 anos estará dominando a nossa forma de fabricar tudo.

Eles têm 1.200 clientes, incluindo Mattell, VH1 e Microsoft.

A Voodoo é o único fornecedor de impressão 3D de alto volume que em vez de produzir somente protótipos ou componentes em quantidade limitada, está imprimindo peças plásticas em massa com a ajuda de 160 impressoras 3D comuns que são controladas por um software desenvolvido internamente para produzir as peças.

Por número, este é o maior conjunto de impressoras 3D nos EUA, possivelmente no mundo, e todas elas trabalham em sincronia para que a empresa possa garantir os melhores preços com qualidade superior e consistência para seus clientes. O produto é baseado no trabalho que a equipe fez na Makerbot sobre a ideia de Botfarms. A empresa deixou o trio começar uma solução Botfarm fora e eles trabalham de forma independente desde maio de 2015.

“Voodoo está tentando construir a próxima geração de fábricas. Somos uma empresa de fabricação nascida de software e queremos tornar o hardware tão fácil e escalável quanto o software se tornou nos últimos 10 anos “, disse o co-fundador Jonathan Schwartz. O plano é criar fábricas maciças que aceleram a produção em 90%. Isso significa que você pode ter centenas de seus objetos em horas e não dias ou meses. A expansão desse conceito de micro-fábrica de impressão 3D será o futuro da fabricação personalizada em massa e criará uma economia Voodoo.

A empresa iniciou o Projeto Skywalker visando criar uma linha de produção de impressão 3D automatizada. A equipe está usando um braço robótico com a esperança de aumentar as taxas de produção em até 400% nos próximos 3-5 anos. O objetivo é poder competir com a capacidade de produção em massa dos métodos tradicionais de fabricação pois o braço robótico e as impressoras 3D podem trabalhar 24 h/dia nos 7 dias na semana, sem férias, salário, greves ou licença médica.

Em 2026, as impressoras 3D estarão imprimindo aparelhos eletrônicos inteiros com todos seus circuitos eletrônicos. Será o fim do poderio das grandes corporações de tecnologia pois poderemos imprimir nessas micro-fábricas TVs, smartphones, notebooks, wearables, eletrodomésticos e todo tipo de produto que quisermos.

A próxima revolução industrial do mundo

Um outro projeto que pesquisa a automação na impressão 3D está sendo desenvolvido pela companhia de pesquisa holandesa independente TNO em parceria com a fabricante de impressoras 3D em grande escala BigRep, sediada na Alemanha. O projeto Print Valley da TNO utiliza um sistema de correias transportadoras para a impressão 3D FFF de vários objetos. A colaboração iniciou o projeto AMSYSTEMS para desenvolver um processo de impressão 3D totalmente automático e contínuo, no qual inúmeros objetos podem ser impressos simultaneamente e no menor tempo possível como mostra o vídeo.

É uma notícia emocionante para a indústria pois uma das principais barreiras para tornar a impressão 3D uma tecnologia mais difundida para a produção é o tempo que se leva para produzir uma peça impressa em 3D. Esta notícia é um passo em frente para a industrialização do processo, e significará grandes coisas para o futuro da fabricação.

DEIXE UMA RESPOSTA