Você já deve ter ouvido esse ditado antes: quanto maior o risco, maior a recompensa. Bem, se isso é verdade, então o inverso também deve ser. O baixo risco produz poucas recompensas. Não acredita? Várias grandes empresas de vestuário que são avessas ao risco, estão vendo seus lucros diminuírem por utilizarem processos de produção com antecedência, em comparação com empresas  que estão adotando fabricação sob demanda.

Algumas redes de fast fashion estão se movendo em direção a um modelo de fabricação sob demanda, que reage ao mercado quase em tempo real. É um ritmo muito rápido que, ás vezes, pode levar a erros, mas os riscos são realmente mais baixos do que a abordagem tradicional, enquanto as recompensas são muito mais altas.

O que essas empresas desenvolveram em termos de cadeias de fornecimento pode ser imitado. A disposição das grandes redes de fast fashion cometerem erros é um bem maior do que qualquer avanço tecnológico poderia proporcionar.

Abraçar essa mentalidade é um grande obstáculo para a indústria da moda, que por tanto tempo tem focado no menor custo de bens, trabalho e transporte como um meio para lucrar. Quando as empresas fazem grandes encomendas de produtos com muitos meses de antecedência, um passo em falso na escolha das cores ou modelos pode significar estoques parados e um enorme prejuízo ou até falência.

Os compradores de hoje tem acesso a muita informação na internet e estão dispostos a exigir que as empresas personalizem seus produtos. Foi-se o tempo onde os designers definiam as tendências, as revistas veiculavam essas tendências e os consumidores obedientemente as seguiam meses depois. Agora, o varejo deve seguir os compradores e para fazer isso, é melhor aprender o ritmo.

A gigante da informática Dell foi uma das primeiras empresas que permitiu aos consumidores assumirem a liderança, personalizando as suas compras, que depois seriam entregues em três dias. Isso levou outras concorrentes a fazerem o mesmo e agora, as empresas de vestuário estão fazendo a mesma mudança.

A fabricação sob demanda funcionou para a Dell porque eles descobriram como usar peças comuns que podem ser facilmente configuradas com base nas especificações do cliente. Aplicar esse método às roupas significa atrasar a produção até o último minuto, permitindo que as marcas de moda possam observar o que está acontecendo no mercado e reagir em conformidade.

As marcas de luxo da empresa Xcel Brands estão empregando as táticas das redes de fast fashion, reduzindo os prazos de entrega dos pedidos de compra de 17 semanas para 4 semanas. Este é o modelo da Zara que muitas empresas de moda, grandes e pequenas, tanto de atacado e varejo, estão começando a desenvolver.

Em vez de se preocupar com os custos associados com o desenvolvimento ou se comprometer em comprar tecidos com antecedência, as marcas precisam reconhecer que podem ganhar mais com pedidos menores e com mais freqüência porque mesmo que possam cometer erros na coleção, um pequeno passo em falso é facilmente compensado pelas vendas geradas a partir de todos os outros pedidos de mercadorias ao longo do ano.

Para as empresas corajosas e dispostas a adotar uma nova mentalidade e abraçar um modelo de fabricação quase sob demanda, é preciso seguir um processo de três passos.

Em primeiro lugar, todo mundo precisa seguir uma única meta corporativa, e o objetivo de cada empresa de moda é produzir o produto que o cliente quer comprar.

O segundo é que todas as informações necessárias para que a cadeia de fornecimento possa funcionar sem problemas, devem residir em uma única plataforma digital que todo mundo pode acessar. Todas as informações precisam estar num lugar para maior clareza e visibilidade.

E por último, as empresas devem simplificar suas estruturas corporativas. A organização tem de se tornar mais plana e o processo de tomada de decisão deve ser mais rápido. Se esse for o mantra da empresa, então será mais eficiente do que seus concorrentes. A gigante do varejo online Amazon patenteou um novo sistema automatizado de fabricação de roupas sob demanda que adota os três passos acima, e pretende se tornar a maior rede de fast fashion do mundo superando a Zara e H&M.

As reestruturações que estão acontecendo em todas as lojas de departamento atuais são o resultado direto delas estarem tentando se mover mais rápido. A tecnologia está realmente tornando essas mudanças possíveis para todas as empresas. Uma vez que você começa a fornecer informações que se estendem até o nível mais baixo, o nível mais elevado fica obsoleto.

DEIXE UMA RESPOSTA