Quem já não viu essa frase centenas de vezes na mídia impressa e internet: “a moda é a segunda indústria mais poluente do planeta”? Embora essa frase seja repetida de forma constante, não encontrei nenhuma pesquisa séria que comprove esse fato. O problema disso é que não tínhamos ideia de como a moda é ruim para o planeta, e precisávamos desesperadamente de uma pesquisa para averiguar isso. Bem, felizmente os dinamarqueses forneceram esses dados.

O Global Fashion Agenda apresentou no Copenhagen Fashion Summit, em parceria com o Boston Consulting Group o Relatório da Indústria da Moda. É um mergulho profundo na indústria da moda, fornecendo dados para que as empresas possam fazer uma melhor gestão de seus recursos e métodos de produção para inovar.

A moda é a segunda indústria mais poluente do mundo?  

O relatório diz que a indústria da moda é responsável pela emissão de 1,715 bilhão de toneladas de CO2 em 2015, cerca de 5,4% dos  32,1 bilhões de toneladas  de emissões globais de carbono em 2015. A produção têxtil e de vestuário é menos poluente do que a produção de eletricidade e calor (24,9%), a agricultura (13,8%), o transporte rodoviário (10,5%), a produção de petróleo e de gás (6,4%), e igual a pecuária (5,4 %).

Mas o que é interessante dessa análise é que a indústria da moda envolve todas as indústrias que acabei de mencionar. A eletricidade muitas vezes é gerada a partir de geradores movidos à carvão e diesel,  para alimenta as fábricas de vestuário. O algodão é um produto agrícola. Depois de fabricadas, as roupas são entregues por transporte rodoviário. O poliéster é feito a partir de plástico que é um produto de petróleo. Couro é um subproduto do gado que é criado para alimentação.

O que só reafirma o poder da moda. Se pudéssemos corrigir toda cadeia de fornecimento da moda e reduzir suas emissões, estaríamos reduzindo as emissões das outras quatro indústrias mais poluentes do planeta. A moda, poderia de fato, salvar o mundo.

E sobre a água? Infelizmente, o relatório não falar sobre a poluição da água, mas o consumo de água. Em 2015, de acordo com o relatório, a indústria da moda mundial consumiu 79 bilhões de metros cúbicos de água, o que é uma quantidade enorme, mais do que a produção de eletricidade, e a massiva produção de algodão ameaça uma falta de água em países produtores de algodão.

Mas isso representa apenas 0,87% do consumo mundial de 9,087 bilhões de metros cúbicos de água usados por ano. 70% do uso global de água vai para a agricultura, que inclui algodão, mas também a produção de alimentos. Cerca de 20% vai para a indústria. 12% vai para uso doméstico e municipal.

Quando se trata da poluição da água, a indústria da moda também não é a segunda indústria mais poluente. A agricultura está no topo. Depois vem a mineração , que é outro grande colaborador. Além disso, temos o escoamento coletivo do transporte terrestre. Assim, a moda fica em quarto lugar. O documentário RiverBlue deixou claro como a produção de moda nos países asiáticos é extremamente tóxica.

De acordo com o relatório, a moda é responsável pelo descarte de 92 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano em todo o mundo, representando 4% dos  2,12 bilhões de toneladas de resíduos que são descartados no mundo a cada ano. Isso é mais de duas vezes o desperdício de alimentos nos supermercados. No processo de corte e costura de uma camiseta, os retalhos de tecido são descartados.

Em Nova York, por exemplo, a quantidade de resíduos têxteis produzidos na fabricação de roupas é 40 vezes maior do que resíduos têxteis jogados no lixo pelos consumidores. Imagine então a quantidade de resíduos têxteis das fábricas nos países asiáticos que são jogadas no lixo.

A produção de resíduos sólidos aumenta com o crescimento da população urbana e riqueza. Em outras palavras, a nível mundial, à medida que nos mudamos para as cidades em busca de uma vida melhor, nós consumimos mais coisas e a nossa produção de resíduos aumenta.

De qualquer forma, ser responsável por 4% dos resíduos sólidos no mundo é uma quantidade enorme, mesmo que isso não torne a moda a segunda maior fonte. Isso mostra a grande necessidade em descobrir novas maneiras de reciclar os resíduos têxteis descartados tanto pelos consumidores como pelas fábricas.

Então, onde é que isso nos deixa? Agora que sabemos que a moda é a quinta indústria mais poluente quando se trata de emissões de carbono, devemos estimular o desenvolvimento de novas tecnologias para criar materiais mais sustentáveis e processos de reciclagem mais eficientes e baratos, impulsionando o crescimento da moda circular em escala global.

DEIXE UMA RESPOSTA