Este ano, mais de 14% dos consumidores no Estados Unidos estão se interessando cada vez mais pela moda sustentável, de acordo com uma reportagem no site Businessoffashion. Isso representa uma alta de dois pontos em relação ao ano passado de acordo com a Euromonitor International. O que está acontecendo no mundo da moda? As gerações Y e Z que são as maiores consumidoras de fast fashion, estão deixando a moda descartável de lado e procurando roupas com materiais de qualidade superior. O objetivo é que as roupas fiquem por mais tempo no guarda roupas em vez de serem jogadas foram em pouco tempo.

Alguns dos consumidores que antes mudavam rapidamente de estilo passando de uma tendência descartável para outra, estão procurando agora comprar roupas em brechós ou de marcas focadas na ética e sustentabilidade. Para as marcas de fast fashion, é difícil usar tecidos ecológicos de alta qualidade sem criar um “enorme desperdício e poluição” durante sua fabricação. Isso gera uma incompatibilidade entre o fast fashion e a sustentabilidade mas como resolver esse dilema se a maioria dos consumidores estão mais preocupados com o preço?

O hybrid fashion é uma alternativa ao fast fashion na produção de roupas e acessórios em grande escala de forma ética e sustentável mas com preços menores e com maior variedade de produtos do que o slow fashion. No Brasil, a maioria das marcas de moda e tecelagens continuam a não oferecer produtos com apelo sustentável ou fazem de forma muito tímida e isso acaba por se tornar um erro de marketing.

A moda circular está sendo adotada por várias empresas pelo mundo em resposta a mudança de consumo mais responsável das gerações Y e Z. Sem dúvida, a inovação tecnológica através de aplicativos de smartphone como o Povigy, estão se tornando uma nova ponte entre as empresas e os clientes, fornecendo todos os dados de produção das roupas e acessórios de forma transparente para que saibamos como e onde foram feitas. Daqui a 5 anos, vai ser difícil para as marcas venderem seus produtos sem a transparência da sua forma de fabricação.

Essa mudança de comportamento está atingindo até as gigantes do fast fashion como a H & M e Zara que criaram pequenas coleções de “roupas sustentáveis” dentro de suas inúmeras linhas para tentar atrair os consumidores conscientes. Isso mostra que a ética e sustentabilidade não são uma “tendência passageira” mas a nova norma de produção que as marcas terão que seguir ou desaparecer.

DEIXE UMA RESPOSTA