As inovações do capitalismo, são com certeza, os maiores aliados dos pobres. O designer Matt Dalio criou um novo computador popular para a classe média emergente no mundo em desenvolvimento. Seu projeto, o computador Endless, trabalha diretamente conectado aos televisores de tela plana que a maioria das famílias tem em casa, para fazer um sistema operacional de baixo custo.

Endless vem com 150 aplicativos úteis, e custa apenas US$ 169 na versão com 32 GB ou US$ 299 na versão de 500 GB,  e pode trabalhar offline, por isso, se alguém tem uma conexão Wi-Fi irregular, ele pode continuar trabalhando.

Em uma viagem para a Índia, o empresário Matt Dalio notou algo sobre a classe média do país emergente: Enquanto muitas famílias tinham TVs em casa, poucos podiam se dar ao luxo de ter um computador. Ele teve uma epifania. Por que não fazer com que as TVs funcionem como se fossem monitor de um PC totalmente funcional de baixo custo?

Depois de meses de pesquisa e reunião com famílias de classe média baixa em todo o país, Dalio desenvolveu o Endless que permitiria as famílias pouparem dinheiro e terem acesso as funcionalidades de um computador pessoal. O Endless é computador democrático que dá a todas as pessoas, acesso ao mundo virtual, para que ninguém seja excluído da revolução digital da computação e internet.

Com base na interface de um telefone inteligente familiar, o software do Endless foi simplificado para que os usuários que nunca tiveram um computador antes, possam navegar com facilidade. Um aplicativo App permite aos usuários fazer download de novos aplicativos facilmente como se estivessem usando seus telefones, mas muitos outros aplicativos já estão pré-instalados como uma salvaguarda para os usuários com internet fraca ou limitada. Não é o máximo?

Na verdade, o sistema foi projetado com a capacidade de trabalhar offline, para salvar o trabalho dos usuários em áreas com internet confiável. O computador tem um lindo design e foi projetado para assemelhando-se a uma elegante nuvem que pode descansar em qualquer escrivaninha, mesa ou console de televisão. Os clientes do Endless ​​tem acesso a tomadas de rede elétrica e também têm televisão. No México, o primeiro mercado do computador, cerca de 95% da população possui pelo menos uma televisão.

O modelo de negócios também é diferente pois o Endless não depende de doações. Em vez disso, é destinado a clientes que têm um pouco de dinheiro extra, mas não o suficiente para comprar um computador típico. “Nós não somos uma empresa social”, diz Matt Dalio. “Operamos como qualquer negócio, na premissa de que, se podemos construir um produto que melhora a vida das pessoas, um monte de gente vai comprá-lo. Nossa intenção é mudar a vida das pessoas com esse modelo do produto e de negócios.” Aprovadíssimo!

Gostou do computador popular Endless? Comente.

DEIXE UMA RESPOSTA