Lançado em 2014, o Walmart Foundation’s Manufacturing Innovation Fund, concedeu US$ 3 milhões a seis universidades americanas para apoiar o seu trabalho em inovações sustentáveis na indústria têxtil. O fundo se concentra no desenvolvimento de fabricação de bens de consumo nos EUA com o objetivo de torná-lo mais viável, sustentável e competitivo de produzir. O Fundo de Inovação já forneceu um total de US $ 10 milhões em doações desde seu lançamento e esta é a terceira rodada de financiamento.

As universidades foram selecionadas por sua capacidade de lidar com dois desafios que atualmente apresentam barreiras ao aumento da produção doméstica. Entre eles estão:

1-Reduzir o custo de produção têxtil nos EUA, incluindo tecidos para o lar e vestuário, abordando os obstáculos ao longo da produção.

2-Melhorar os processos de fabricação com ampla aplicação para muitos tipos de produtos de consumo comuns.

Muitos dos vencedores do Walmart U.S. Manufacturing Innovation Fund têm um grande foco na sustentabilidade. As universidades que receberam os subsídios são:

  • Washington State University desenvolveu um processo ambientalmente amigável para reciclar resíduos de algodão pela regeneração da fibra usando uma técnica de fiação úmida;
  • North Carolina State University criou um método de tingimento têxtil comercial universal e sustentável que não usa sal ou alcalino; não produz efluentes; e reduz em 95% o consumo de energia e de água;
  • Clemson University desenvolveu fibras de poliéster sustentáveis, que alcançar um elevado nível de repelência a líquidos e sujeira;
  • Oregon State University desenvolveu um tingimento sustentável, rentável e um processo de impressão de tecidos inteligentes;
  • Texas Tech University apoia a investigação sobre diversos aspectos da produção têxtil, eficiência no tingimento e acabamentos especiais;
  • University of Massachusetts Lowell desenvolveu tecnologia de tingimento magnético para resolver os problemas técnicos e ambientais dos tingimento atuais.

“Avançar a produção ou montagem de produtos de consumo nos EUA é o objetivo número um do Fundo de Inovação”, disse Kathleen McLaughlin, presidente da Fundação Walmart e diretora de sustentabilidade do Walmart. “Como estes projetos sendo concretizados ao longo dos próximos anos, esperamos que a pesquisa não só permita soluções de baixo custo para os fabricantes, mas também melhore a sustentabilidade da indústria têxtil norte-americana.”

A rodada final dos projetos de inovação lançados este ano, como aqueles que já lançados ao longo dos últimos dois anos, foram projetados especificamente para expandir a fabricação de moda nas cidades americanas e para alimentar o crescimento econômico do país como quer o novo presidente eleito, Donald Trump.

Durante sua campanha, Trump prometeu trazer de volta a fabricação industrial para a América e renascer o orgulho do “Made in USA” que se perdeu desde que a China se tornou a fábrica do mundo no início dos anos 80. Até 1970, os EUA produziam internamente 94% de seus tecidos, roupas e acessórios mas hoje só fabrica 3%. A inovação tecnológica aliada a sustentabilidade vão renascer a indústria têxtil nos Estados Unidos.

DEIXE UMA RESPOSTA