O Plástico feito de petróleo não é biodegradável e infelizmente a maioria dos produtos comuns que usamos diariamente são feitos dele, ou vêm embalados nele. Além disso, este material é praticamente indestrutível quando despejado na natureza. Imaginem que as toneladas de plástico que jogamos fora a cada ano são suficientes para circundar a terra quatro vezes.

Mas felizmente existe a tecnologia de reciclagem para transformar milhões de garrafas plásticas nos mais diversos produtos entre eles, tecidos sofisticados para alta costura.

Monique Collignon cria sofisticados vestidos de alta costura com tecidos feitos de resíduos plásticos. stylo urbano-1

Coisas que vestimos

Os tecidos e as garrafas plásticas não são tão independentes como poderíamos pensar. Na verdade, 65% dos tecidos que são produzidos em todo o mundo são sintéticos, a maioria dos quais são feitos do mesmo material que são feito os plásticos. Contrariando a crença comum, 63% do polímero PET é utilizado na fabricação de fibras e fios têxteis, e não garrafas plásticas.

Isso significa que o fardo ambiental da produção do plástico e seus resíduos feitos de petróleo são práticas insustentáveis nos mais diversos setores, incluindo a moda graças principalmente ao fast fashion. A própria indústria da moda está longe de ser inocente: Com a crescente consciência das pessoas sobre como as nossas roupas são feitas, ficamos conhecendo o verdadeiro custo das peças de vestuário.

A exploração sem fim de pessoas e do planeta é o preço que se paga para a nossa dependência de roupas baratas e descartáveis. É por isso que nos últimos anos surgiu uma clara tendência para a sustentabilidade, sistemas de circuito fechado de produção e alternativas cradle-to-cradle  no negócio da moda.

Como fazer com que as inovações eco-conscientes reinventem a indústria?

Ela começa com a mudança de mentalidade dos designers quando começam a elaborar um produto, utilizando de forma reacional os recursos disponíveis e reconsiderando o ciclo de vida final do produto. Um dos primeiros passos sustentáveis que os designers devem tomar é a utilização de tecidos eco-sustentáveis desenvolvidos pela indústria têxtil. A ideia de reciclagem de garrafas de plástico em fios já tem mais de 15 anos, mas a empresa holandesa Waste2Wear que tem fábrica na China, explorou ainda mais essa alternativa. O video mostra o processo de fabricação da empresa.

Cerca de 70% da coleção da grife de alta costura Monique Collignon é feita de tecidos de poliéster reciclado da Waste2Wear, onde uma peça de vestuário é feita a partir de uma média de quinze garrafas. Em cada roupa tem uma etiqueta mostrando quantas garrafas de plástico foram usadas. A Waste2Wear consegue produzir tecidos de poliéster reciclado de alta qualidade e como toque de seda. Os 30% restantes dos tecidos utilizados na coleção também são certificados.

Os tecidos da Waste2Wear foram recentemente apresentados na coleção inverno 2015 de alta-costura que abriu o Mercedes-Benz Fashion Week Amsterdam, A coleção criada pela designer alemã de alta costura Monique Collignon, tornou-se o primeiro desfile de alta costura do mundo feito com tecidos 100% reciclados de garrafas PET. A designer escolheu os tecidos da linha “The Couture Light collections” da Waste2Wear.

Um simples vestido feito do tecido reciclado da linha Couture Light, retira 30 garrafas PET do ambiente. Não é difícil imaginar o impacto positivo na moda, se toda a coleção for composta por peças de vestuário elegantes que são realmente feitas de plástico reciclado. O vídeo abaixo é da “The Conscious Collection” de primavera-verão 2017. 70% dos tecidos são de poliéster reciclado da Waste2Wear. Veja as fotos aqui.

A coleção foi muito aplaudida, deixando os fashionistas e os criadores de tendências muito animados com os tecidos que além de serem lindos e fluírem como seda, eram feitos de garrafas de plástico. Demorou algum tempo para desenvolver as tecnologias de reciclagem que pudessem fornecer tecidos sustentáveis que atendessem aos padrões mais requintados da moda.

Tem levado muito tempo para as empresas compreenderem a importância de modelos de negócios que integram impactos sociais e ambientais, ética, direitos humanos e preocupações com os consumidores em suas estratégias e operações centrais, mas estamos realmente à beira de uma era em que seguir práticas sustentáveis vai ser a norma. E agora, qual é sua desculpa para não aderir a moda sustentável?

MONIQUE-COLLIGNON.-SS-HC-16.193

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA