Há sempre uma excitação no mercado de moda quando um novo fio sustentável é lançado, e o último a fazê-lo foi o Naia da Eastman Chemical Company. Essa nova fibra celulósica combina sustentabilidade e desempenho com um toque natural. A Eastman é uma empresa química americana que tem fornecido fios de filamentos nos últimos 80 anos. Feita a partir de polpa de madeira proveniente exclusivamente de florestas geridas de forma sustentável e certificada, o fio celulósico Naia permite criar tecidos sofisticados, confortáveis, de fácil cuidado e pode ser misturado com outras fibras.

Inicialmente lançado no mercado de vestuário íntimo, o fio Naia atende também a indústria de moda fitness e esportiva, moda casual, acessórios e até tecidos para área médica. Além do conforto e maciez inerente aos fios de celulose, o processo de fiação patenteada do Naia oferece funções adicionais como fácil manutenção, resistência a manchas, suavidade, frio ao toque e secagem rápida, propriedades inerentes ao fio e não de processos de acabamento, o que significa que esta fio versátil tem desempenho permanente.

Naia e Bemberg : novas fibras celulósicas sustentáveis que aliam sofisticação e conforto stylo urbano-1

Muitas pessoas estão familiarizadas com algodão e o algodoeiro, mas talvez poucas estão cientes do linter de algodão, a fibra celulósica usada para fazer o fio Bemberg (ex-Cupro) produzido pela empresa japonesa Asahi Kasei. O linter de algodão é a fibra curta que envolve as sementes de algodão e costuma ser descartada depois de separada do algodão.
A Asahi utiliza essas fibras que são normalmente descartadas e as transforma num recurso precioso. O fio Bemberg é de origem natural e renovável, possui toque de seda no corpo por ser leve e respirável e o melhor é que é biodegradável.

Naia e Bemberg : novas fibras celulósicas sustentáveis que aliam sofisticação e conforto stylo urbano-2

Benefícios ecológicos

  • O fio é produzido com os resíduos do algodão:  A fibra macia que protege a semente de algodão originalmente não é usada, no entanto, o fio Bemberg possui um desempenho de refrigeração incrível através da reciclagem de forma eficaz de um recurso não utilizado.
  • Reduz a concentração de CO2: A planta de algodão é um recurso renovável e geralmente é plantada na Primavera, floresce no outono, e é colhida em novembro. À medida que cresce, ela absorve o CO2 do ar e, em seguida, diminui a concentração atmosférica.
  • Biodegradabilidade no solo: O fio Bemberg é biodegradável com muito pouco impacto ambiental, e se decompõe em seus componentes naturais no solo.
  • Baixas emissões na incineração: O fio Bemberg também é biodegradável por ser feito de celulose pura, e quando é incinerado tem baixa emissão de gases nocivos.
  • Toque macio e suave alem de absorção e liberação de umidade

DEIXE UMA RESPOSTA