Sidney Stratton (Alec Guinness), um cientista ingênuo, excêntrico e idealista desenvolve um tecido que não se desgasta, nunca suja e é praticamente indestrutível. Seria uma descoberta espetacular da ciência se os executivos da indústria têxtil e o sindicato dos trabalhadores não fizessem de tudo para que Stratton nunca divulgasse essa inovação ao mundo.

Tanto para os industriais e trabalhadores, tecidos resistentes que não se rasgam ou furam causaria grandes perdas pois diminuiria o hiper-consumismo e acabaria com o reinado da obsolescência programada na indústria da moda. Dessa forma o invento que possibilitaria um enorme ganho para a sociedade e o meio ambiente de certa forma tornaria obsoleto o sistema econômico linear que gera descartabilidade excessiva.

Essa excelente comédia inglesa de 1951 se chama “O HOMEM DE TERNO BRANCO” dirigida por Alexander Mackendrick e você pode encontrar completo no youtube. O filme se equilibra espetacularmente nesse tema ambíguo. Os dois lados da moeda (capital x trabalhadores) compartilham do mesmo egoismo para acabar com a inovação tecnológica.

Por outro lado temos o idealismo de Stratton, que luta para que sua criação seja reconhecida e que tenha uma função benéfica na vida das pessoas e meio ambiente, chocando-se com os efeitos reais que sua descoberta pode gerar em larga (crise na indústria têxtil, desemprego no setor) e pequena escala (as pobres senhoras que lavam roupas para fora ficarão sem trabalho!).

Novas tecnologias criam tecidos resistentes que nunca rasgam ou furam stylo urbano-1

As máfias sindicais e os carteis indústrias monopolistas sempre buscam meios de barrar as inovações que ameassem seus interesses e isso foi bem representado no filme pela perseguição implacável ao tecido que nunca rasga ou suja do brilhante cientista. Hoje vivemos na era das informações compartilhadas instantaneamente pela internet, o que ajuda a expor e denunciar publicamente qualquer perseguição às novas ideias e tecnologias disruptivas por interesses corporativos.

A Amazon, Uber e Airbnb são exemplos de empresas disruptivas que revolucionaram completamente suas respectivas áreas de negócio. E a industria da moda? Quais são as tecnologias disruptivas que vão chacoalhar a indústria número 1 em obsolescência programada? No filme o cientista Sidney Stratton criou um tecido que nunca rasga e suja mas será que isso é possível de reproduzir em larga escala nos dias de hoje?

Tecidos hidrofóbicos que não se molham e nem sujam além de serem anti-odor já existem no mercado como Dropel Fabrics e PurThreadVardamaElizabeth & Clarke e Odor Denim. Mas e tecidos ultra-resistentes que não rasgam ou furam? A seda da aranha é uma das substâncias mais fortes conhecidas pelo homem. Ela é cinco vezes mais resistente que o aço e três vezes mais forte que o Kevlar mas tem sido notoriamente difícil de cultivar por que aranhas não são domesticáveis como bichos da seda.

Mas felizmente os cientistas conseguiram sintetizar as qualidades da seda da aranha para fabricar em massa tecidos super resistentes. A North Face lançou o primeiro casaco do mundo feito de seda de aranha sintética chamado Moon Parka, criado pela empresa japonesa Spider.

A startup americana Bolt Threads projetou um material sustentável e versátil da seda de aranha sintética que pode um dia ser usada para fazer tecidos para assentos de carro e roupas de marca. A seda de aranha sintética é o tecido do futuro pois o tecido pode protegê-lo de um tiroteio ou fazer com que suas meias e roupas nunca rasguem, não importa quantas vezes você as usou ou jogou na máquina de lavar.

Novas tecnologias criam tecidos resistentes que nunca rasgam ou furam stylo urbano-2
Túnica feita da seda natural de aranha dourada. Milhares de aranhas foram utilizadas para se obter a seda.

Na fabricação da seda sintética nenhuma aranha é utilizada. Em vez disso, a Bolt Threads combina levedura geneticamente modificada com água, açúcar e sais para transformá-los em seda crua por um processo de fermentação (o mesmo que converte açúcares em álcool para fazer cerveja). A gosma resultante tem a textura de melaço.

A máquina então suga a gosma e a bombeia através de pequenos orifícios para criar os filamentos. As fibras são depois tricotadas ou tecidas em tecidos. O material é inovador e a seda de aranha sintética se tornará tão onipresente quanto o nylon só que infinitamente mais resistente. Uma das coisas mais interessantes sobre esta fibra feita pelo homem é a sua sustentabilidade e significativamente baixo impacto ambiental. Não há petróleo ou produtos químicos envolvidos.

A fibra é uma solução prática para nossas necessidades diárias, uma vez que não é suscetível ao desgaste como a seda natural, é acessível e pode até mesmo ser lavada na máquina. A startup Bolt Threads assinou uma nova parceria com a gigante do vestuário esportivo Patagônia para lançar coleções de roupas com o tecido em breve.

Novas tecnologias criam tecidos resistentes que nunca rasgam ou furam stylo urbano-3

O PPSS Group, uma companhia sediada no Reino Unido criou o Cut-Tex® PRO, que é um dos tecidos resistentes ao corte mais avançado do mundo. A PPSS produz armaduras corporais de alto desempenho e as fornece para agências de segurança e outros clientes em situação de risco em todo o globo.

A startup LOCTOTE lançou no Kickstarter sua bolsa “contra ladrão” que é indestrutível feita com o tecido da PPSS. O tecido anti-faca vem em 6 cores e foi desenvolvido para atender policiais, militares, agentes de segurança, uniformes técnicos e pessoas que buscam proteção. Mas a tecnologia desenvolvida para fabricar esse tecido poderia ser adaptada para se fazer tecidos para moda esportiva e casual.

Outra fibra super resistente que pode ser usada tanto na indústria de segurança como na moda foi criada pela DSM Dyneema, a inventora e fabricante da fibra de polietileno de alto peso molecular (UHMWPE). A empresa lançou o Dyneema Project para torná-lo conhecido na moda, principalmente na fabricação de um super denim que nunca rasga.

A Dyneema criou a fibra mais forte, mais leve e mais durável do mundo. É um material versátil descoberto por acaso em 1963, mas foram necessários mais de 27 anos para comercializar e trazê-lo para o mercado. Atualmente, a fibra é usada para amarrar as plataformas petrolíferas, cordas para elevadores de edifícios e coletes contra balas.

O que isso tem a ver com a moda? No futuro o material vai tornar os tecidos mais fortes, mais leves, mais inteligentes e mais duráveis, e como é uma microfibra fina, ele também pode ser tecido com outros materiais para criar tecidos ultra-fortes que são leves, suaves, sedosos e frios ao toque. A DSM Dyneema tem colaborado com a fábrica italiana de denim Berto EG Industria Tessile e empresa de fios técnicos Filtes International, a fim de preencher a lacuna entre os mundos da moda e vestuário técnico.

O resultado é o Dyneema® Denim é o mais forte e mais leve denim do mundo, e chega a ser 7 vezes mais resistentes à abrasão, durabilidade e resistência ao rasgamento do que os tecidos de jeans e jaquetas que tem no mercado. A marca Saint utilizou a nova tecnologia em sua coleção Unbreakable Denim juntamente com a Levi’s em sua linha de calças 501.

Com as novas tecnologias têxteis, as roupas do futuro poderão nunca se rasgar ou se sujar além de serem anti-odor. O fantástico terno branco do cientista Sidney Stratton poderá finalmente se tornar realidade e mudar a indústria da moda tornando nossas roupas quase indestrutíveis.

DEIXE UMA RESPOSTA