A indústria da moda está atualmente passando por uma grande transformação através das novas tecnologias de fabricação de roupas e acessórios que são mais eficientes, rápidos e sustentáveis. Algumas empresas estão investindo pesado em inovação no setor têxtil e de calçados, visando concorrer com o uso de mão de obra barata dos países asiáticos fabricando localmente, evitar o desperdício de matérias primas e uso de produtos químicos perigosos além de poder personalizar e fabricar em quantidades menores.

A impressão 3D é uma das tecnologias que aos poucos está criando uma nova forma de fabricar tecidos como é o caso do processo Cosyflex criado pela empresa Tamicare que desenvolveu uma pistola de pulverização que imprime um tecido feito de látex e algodão sobre um molde com a forma da peça de roupa. A empresa com sede na Inglaterra produz calcinhas descartáveis para hospitais mas pretende com o tempo aprimorar sua tecnologia para fabricar todo tipo de roupas com tecidos de fibras naturais, artificiais ou sintéticas.

Essa tecnologia é totalmente sustentável pois não causa desperdício de energia, material e água além de poder fabricar localmente sem os custos de transporte e de forma automatizada. Assim pode-se imprimir toda uma variedade de roupas que saem praticamente prontas da máquina com suas laterais unidas por processo de solda robótica sem interferência humana.

O sistema de pulverização de tecido pode se tornar um método mais prático, rápido e barato de fabricar roupas em série, o que a torna bem diferente do processo tradicional de fabricação aditiva onde a impressora 3D imprime camada por camada usando principalmente filamentos de plástico PLA como mostra o projeto Modeclix criado pela Digital Hack Lab da Universidade de Hertfordshire que você pode ver aqui.

Uma tecnologia revolucionária chamada wholegarment foi desenvolvida pela empresa japonesa Shima Seiki, em meados dos anos 90 mas começou a ser implementado em maior escala nos últimos anos. O sistema foi originalmente desenvolvido para facilitar a produção em massa de roupas e acessórios. A peça saí completamente pronta e sem costura da máquina de tricô 3D sem sobras de tecido.(alguns projetos podem exigir costura parcial).

Em alguns anos as fábricas terão máquinas automatizadas capazes de tecer qualquer tipo de roupa em qualquer tipo de tecido localmente e de forma personalizada, que já saem prontas e sem costura não produzindo resíduos têxteis nem poluição. Basta o estilista criar o modelo no computador especificando todos os materiais e cores da peça que será depois tecida na máquina. Essa inovação tecnológica vai ser ainda maior do que a revolução industrial dos séculos XVIII e XIX.

Novas tecnologias de produção estão tornando a moda mais sustentável e personalizável stylo urbano-1

O legal é que as roupas são feitas em poucos minutos  utilizando a quantidade certa de fios através de um sistema de concepção digital que permite escolher modelo, cor e corte. O sistema oferece muitas possibilidades tantos para os estilistas como os usuários pois a peça pode ser personalizada.

A ausência de costuras permite produzir desenhos com padrões ininterruptos, criando roupas reversíveis sem o peso adicional de malhas duplas, além de poder criar modelos com fios de espessuras diferentes para enriquecer o design da peça. Veja abaixo como funciona a tecnologia.

As máquinas da Shima Seiki só fabricam roupas de malharia retilínea mas nada impede que outras empresas desenvolvam novas máquinas com tecnologias de fabricação de roupas prontas e sem costura feitas de sarja, denim, cetim, chifon, seda, organza, tafetá entre outros. Essas máquinas possibilitarão também inserir microeletrônica flexível nos tecidos para se criar roupas inteligentes tanto para a moda esportiva, moda casual e área médica. Em alguns anos teremos até roupas e acessórios feitos de couro criado em laboratório através da biofabricação sem causar morte de animais.

Essas tecnologias inovadoras se tornarão a forma mais sustentável de se fabricar roupas eliminando completamente o estoque de tecidos e os retalhos que sobram do corte, além de produzirem de forma automatizada, rápida e com possibilidades infinitas de personalização. O vídeo abaixo é do desfile de comemoração dos 50 anos da Shima Seiki onde vários estilistas desenvolveram peças feitas com a tecnologia da empresa.

Alunos do premiado curso Fashion Knitwear Design and Knitted Textiles da Nottingham Trent University apresentaram as suas modernas coleções de vestuário para o público em um show especial em 2015 criando roupas feitas com a tecnologia wholegarment.  As possibilidades estilísticas são infinitas.

Além das roupas, com a tecnologia wholegarment pode-se criar calçado e cabedais sem costura oferecendo um toque de segunda pele, além de elasticidade, flexibilidade e portanto, maior mobilidade. A aplicação de novas técnicas para a produção de sapatos e tênis personalizados está sendo explorada nas indústrias do esporte e da moda como os estilosos sapatos unissex de tricô 3D da JS Shoe além dos tênis esportivos criados pela Adidas e Nike.

A Nike desenvolveu a tecnologia Flyknit com a intenção de mudar completamente a forma de se fabrica calçados.  Anteriormente, a Nike enviava um arquivo contendo os desenhos, amostras de tecido, e outras especificações para uma fábrica na Ásia, onde vários trabalhadores montavam a sapatilha com a mão. Para fazer uma sapatilha Flyknit hoje, a Nike apenas envia um arquivo, e uma pessoa alimenta as instruções em uma máquina de tricô para criar o sapato. Uma pessoa é capaz de operar várias máquinas de tricô simultaneamente.

Os calçados tem sido feitos da mesma forma há décadas e estava na hora de superar esse paradigma. Esta mudança dramática na técnica de fabricação criando sapatilhas de malha, que são vendidas tanto pela Nike e Adidas, representam um dos maiores avanços em calçados desde que os homens das cavernas envolveram peles ao redor de seus pés pela primeira vez. Agora, o próximo estágio de evolução são os tênis que tem seu cabedal feito por uma máquina de tricô 3D e seu solado e entressola feitos de impressão 3D que depois são montados por um robô em uma mini-fábrica automatizada como a Speedfactory da Adidas.

Essa mini-fábrica pode ser instalada em qualquer loja de qualquer cidade do mundo. Assim, você poderá personalizar o seu tênis com as cores disponíveis através de um tablet e esperar que seu tênis seja fabricado e entregue a você. Com todas essas inovações tecnológicas, roupas e calçados poderão ser totalmente personalizados e fabricados localmente sem desperdícios e de forma sustentável. Que venha o futuro!

Novas tecnologias de produção estão tornando a moda mais sustentável e personalizável stylo urbano-2

DEIXE UMA RESPOSTA