E você pensando que tinha acabado de descobrir a Geração Y (também chamada geração do milênio ou geração da Internet). É hora de saber mais sobre a nova geração que está prestes a entrar no mercado de trabalho. Os jovens da Geração Z se distinguem da geração do milênio pelo seu nível de tecnologia, adaptação e compreensão da moda e também pela vontade de criar estas coisas.

Os métodos de comunicação e a moda destinada a Geração Z, devem ser ajustadas com as seguintes regras: participação, amostragem, imediatismo, ideologização e honestidade.

Geração Z é a definição sociológica da geração de pessoas nascidas na década de 90 até o ano de 2010 e essas pessoas são conhecidas por serem nativas digitais, estando muito familiarizadas com a internet, compartilhamento de arquivos, telefones móveis e MP3 players, não apenas acessando a internet de suas casas, e sim também pelo celular, ou seja, extremamente conectadas à rede.

O que é a geração Z, e o que eles querem? stylo urbano-1

Os consumidores atuais

Atualmente as empresas focam nos consumidores da Geração Y que:

  • Nasceram após 1980 e, segundo outros, de meados da década de 1970 até meados da década de 1990,
  • Cresceram na era quando o Internet começou a desempenhar um papel importante na vida das pessoas desde a sua infância ou adolescência
  • Tiveram sua visão de mundo moldada pelo 11 de Setembro
  • Assistiram a desvalorização da educação e das normas sociais
  • São a geração de individualistas que estão convencidos que sua própria força pode mudar as coisas
  • Geração familiarizada com a baixa durabilidade e efemeridade dos produtos
  • Foram superexpostos a um novo nível de informação da internet
  • Foram mimados e tiveram facilidades materiais em troca de pouco ou nenhum esforço.
  • Eles cresceram vivendo em ação, estimulados por atividades, fazendo tarefas múltiplas
  • Troquem de emprego com frequência em busca de oportunidades que ofereçam mais desafios e crescimento profissional

As empresas visam a atender essa nova geração de consumidores, que constitui um público exigente e ávido por inovações. Aparentemente e as vezes preocupados com o meio ambiente e as causas sociais, têm um ponto de vista diferente das gerações anteriores, que viveram épocas de guerras e desemprego.

Hoje a Geração Y é o maior grupo na sociedade na qual a criação e venda de moda está focada. Essa é a primeira geração de consumidores que têm um acesso muito rápido sobre as tendências atuais (em tempo real) e das tendências de moda do passado. A geração do milênio separa as informações, escolhendo entre o que é velho (segunda-mão/ ou vintage), o que é luxuoso, e o que é o fast fashion.

Eles foram os primeiros a adotarem o e-commerce e o m-commerce e são os criadores da evolução de imprensa, de offline para online. Por fim, eles são os criadores de Geração Z, uma versão melhorada deles mesmos.

Geração Z – a versão melhorada da geração do milênio

Acabou o egoísmo, o narcisismo selfie, a obsessão pelo consumo e a passividade que isso acarreta. Há uma geração que quer salvar o mundo, mas ainda não sabe como. Nasceu ou cresceu em plena recessão, em um mundo fustigado pelo terrorismo, índices de desemprego galopantes e uma sensação apocalíptica provocada pelas mudanças climáticas.

A Geração Z é composta de pessoas nascidas depois de 1995, filhos da Geração Y e parte da Geração X (pessoas nascidas nas décadas de 1960 e 1970). A Geração Z são os adolescentes que nunca conheceram o mundo antes da Internet e do 11 de Setembro. Eles foram criados com laptops, smartphones e tablets e usam a internet desde o dia em que nasceram.

Em uma escala muito maior do que a geração do milênio, esses jovens são os criadores de novas tecnologias que processam as coisas de forma muito rápida (você só têm oito segundos para chamar sua atenção) e vivem de acordo com as regras do Google Docs e do Uber, que são as regras de colaboração e contribuição.

O que é a geração Z, e o que eles querem? stylo urbano-2

Eles são pessoas socialmente e politicamente sensíveis, menos egocêntricas do que seus pais, mais orientados para o bem comum, mas por outro lado gostam da personalização e compartilhamento de conhecimento. Como nativos digitais, eles nunca conheceram o mundo sem essas novas tecnologias.

Eles podem utilizá-las rapidamente (para a educação e entretenimento), e é por isso que eles são auto-suficientes, tem raciocínio lógico e são bem ativos. Eles preferem enviar mensagens (54% dos adolescentes americanos utilizam seus celulares) do que falar cara-a-cara, mas, paradoxalmente, a falta de familiaridade com o mundo offline os faz querer fugir dessas novas tecnologias e voltar para a vida analógica.

A Geração Z é mais realista que seus irmãos mais velhos, indicam todas as consultorias de marketing (sempre preocupadas com seus futuros consumidores). Viram como seus antecessores desperdiçavam o tempo acumulando títulos universitários e mestrados para depois serem dispensados em entrevistas de trabalho por causa de sua excessiva qualificação. Essa geração representa 25,9% da população mundial. Os especialistas já analisam todos os traços de sua personalidade. Basicamente porque são o mercado que se avizinha.

Quem compõe a Geração Z

Os representantes típicos da Geração Z utilizam muito as mídias sociais, especialmente o Instagram, que são cada vez mais utilizados pelas marcas da moda (Chanel ou Marc Jacobs). Eles usam:

Instagram (77% dos estudantes americanos)
Youtube (93% utilizam pelo menos uma vez por semana)
Twitter (76% dos estudantes americanos)
WhatsApp (25% dos adolescentes norte-americanos)
Whisper  e outros aplicativos de compartilhamento anônimo (11% dos adolescentes norte-americanos)

A Geração Z utiliza a experiência de seus pais e é politicamente e culturalmente ativa. É tolerante, de mente aberta e olham de forma realista para a mídia, cultura, política, moda e ao mesmo tempo, ideologizam e personificam tudo o que eles consomem. Eles exigem honestidade e compromisso social e político da mídia e da marca.

Exige ser informado imediatamente sobre tudo e a melhor maneira é visualizando-o com emojis ou documentá-lo através snapchat ou Instagram. A politização tem uma influência não só no conteúdo mas também sobre os canais de comunicação, o RTB e a Internet das Coisas (IoT)  irão em breve criar novos meios de personalizar as mensagens disponíveis.

Saturados com as novas tecnologias e ao mesmo tempo sendo capazes de obter a informação e criar suas próprias mensagens, a Geração Z está suspensa entre o mundo online e offline. Colados ao smartphone, eles irão procurar por meios analógicos de comunicação e criação.

Geração Z como consumidores de moda – as crianças éticas do Google Docs

Nos anos 60 foram os “filhos das flores”, agora temos os “filhos do Google Docs”. Além de ser um novo meio de comunicação para a Geração Z, esses jovens tem uma outra abordagem para usá-lo. A moda fast fashion perderá seu posto para a moda slow fashion que não utiliza mão de obra barata, não destrói o meio ambiente, não promove o consumismo inconsequente e sua fabricação tende a ser feita no país de origem.

Isso resultará no maior desenvolvimento e criação de canais de venda online como Etsy, Zady, VFiles ou em versões mais luxuosas como Farfetch, que utiliza coleções locais e feitos à mão. Isso afetará a maneira de fabricação de roupas por magnatas da moda como ZARA, Reebok, Forever 21, Uniqlo, C&A, Nike, Primark ou H & M.

Além da moda ética e sustentável produzida localmente, o que também terá importância para a Geração Z será a possibilidade de colaborar com a moda. A Geração Z esperam ter os meios de personificar e provar os produtos, eles vão querer criar seus próprios produtos individuais graças a aplicativos como demish.com e a invenção da impressão 3D.

Essa geração já não se conforma em ser sujeito passivo de marcas e publicações pois desejam produzir seus próprios conteúdos. As marcas já detectam a tendência, e algumas empresas estão lançando campanhas em que o consumidor é parte do processo de construção do produto. Já não se trata somente de personalizar, mas de participar da criação.

A Geração Z vai criar novas startups de moda e design focadas na personalização dos produtos pelos clientes, feitos com materiais sustentáveis e fabricados de forma ética. Um fator importante na concepção e criação destas marcas de moda será a habilidade delas serem transparentes no seu modo de fabricação e também serem “opensource”, colaborando com a comunidade e entregando o produto pronto de imediato.

DEIXE UMA RESPOSTA