Você é do tipo que adora comprar? Pesquisas revelam que por causa do consumismo exagerado acabamos não usando uma parte das coisas que temos no guarda roupa. Um novo estudo feito na Inglaterra descobriu que a mulher de classe média britânica é dona de quase US$ 655 em sapatos que ela nunca ou raramente usa, de acordo com o The Insurance Co-operative.

E embora as entrevistadas possuíssem uma média de 20 pares de sapatos, 11 deles mal eram usados, e 10% das 3.000 mulheres entrevistadas admitiram gastar US$ 983 todo ano em calçados, com o par custando em média US$ 59. O resultado não é uma surpresa, mas ele mostra como as mulheres compram de forma compulsiva, algo que elas realmente não precisam. Será que elas tem síndrome de Imelda Marcos?

Pesquisas revelam que a maioria das mulheres não usam metade das roupas e sapatos que compram stylo urbano-1

E no restante dos países capitalistas ocidentais, será que as mulheres se comportam da mesma forma que as inglesas? Acredito que sim pois vivemos num mundo globalizado e pasteurizado pelo consumo do fast fashion que funciona da mesma forma em todo lugar. A pesquisa foi encomendada por uma agência de seguros que queria avaliar o valor de conteúdo agregado da Inglaterra, com o objetivo de aumentar a cobertura de seguro para coleções de sapatos e roupas caras.

A ideia é a que se por acaso, você está comprando sapatos caros o tempo todo, você pode querer segurá-los juntamente com seu imóvel. A realidade feia da pesquisa se revelou dessa forma: A mulher média acumula sapatos e gasta muito dinheiro em coisas que ela não precisa ou usa. Já viram esse filme? Obviamente que o mesmo comportamento se repete nas roupas e bijuterias também. Homens também compram mas não na quantidade e variedade que as mulheres fazem. Tanto que a maioria das lojas de roupas e sapatos são femininas.

Os pesquisadores também descobriram que a mulher média usa um par de sapatos por três anos antes de jogá-los fora, embora um quinto das entrevistadas confessou ter guardado seus sapatos, não importa o quão velhos estejam. As mulheres compram sapatos por várias razões, cerca de 37% acham que ir as compras é uma terapia e escolher sapatos as deixam animadas.

Outras compram sapatos para usar com uma roupa nova (52%), outras para seguir as tendências da moda (18%), e outras para alimentar uma obsessão (10%). Cerca de 31% das mulheres gastam dinheiro com sapatos desconfortáveis no tamanho errado, apenas porque gostaram deles. E enquanto mais da metade das mulheres (55%) mantem seus sapatos armazenados de forma segura em seu guarda-roupa, uma em cada cinco (22%) são mais desorganizadas, mantendo-os na sala de estar, espalhadas ao redor da casa ou até mesmo no carro. E olha que essa pesquisa nem tocou nas bolsas que da mesma forma que os sapatos muitas mulheres colecionam.

Você tem um guarda-roupa cheio de roupas, mas nada para vestir? Você está em boa companhia. A mulher britânica média tem 22 roupas não usadas em seu armário que ela se recusa a jogar fora ou dar, de acordo com uma outra pesquisa realizada pela QVC UK. O preço desse desperdício não sai barato, pois em toda a Inglaterra, as mulheres gastam mais de US$ 2,5 bilhões, em mais de 500 milhões de peças de roupa que são deixados intocados, o que daria para encher um varal imaginário quatro vezes e meia que ligaria Londres a Nova Iorque.

Mas esse consumo exagerado de roupas não é só com as mulheres, os homens dificilmente se saem melhor. Entrevistados do sexo masculino tinham uma média de 19 peças não usadas. A QVC questionou 1.000 adultos para descobrir a profundidade dos hábitos de compra de roupas na Inglaterra, bem como as razões por trás disso. Quase metade das mulheres culpam a compra de impulso por encher seus armários. Da mesma forma, 37% dos homens admitem que suas roupas não usadas são principalmente compras de impulso.

Quanto ao porquê de nós mantemos guardado o que nós não usamos, existem várias desculpas. Além do fato de que apenas 12% das pessoas regularmente limpam seus armários, 54% dos entrevistados se sentem culpado por desperdiçar dinheiro. Quando é que vamos parar de encher os nossos guarda-roupas? Minimizar as compras por impulso é uma solução óbvia. É melhor comprar peças de qualidade, itens de longa duração que coordenam com as suas peças existentes e frear um pouco o seu ímpeto consumista.

Pesquisas revelam que a maioria das mulheres não usam metade das roupas e sapatos que compram stylo urbano-4

Os resultados dos estudos são interessantes principalmente porque coloca números concretos sobre o que já se suspeitava ser verdade: as mulheres compram mais sapatos e roupas do que realmente precisam ou podem usar. Como compradoras, as mulheres podem aprender com isso, para o bem de seus pés, sua conta bancária e principalmente pelo planeta.

Mas se a Imelda Marcos que existe dentro de você grita toda vez que passa na frente de uma loja, não se desespere pois sempre tem um tratamento. Se você mora em São Paulo a USP procura compulsivas por compras para participar de estudo em troca de tratamento. Corre logo para se inscrever!

DEIXE UMA RESPOSTA