O couro além de belo e natural, é muito ineficiente quando usado em como estofamento de móveis ou na fabricação de roupas, sapatos e bolsas. Não importa o processo de curtimento da pele, a qualidade depende diretamente de qual local no animal foi extraído. Quanto maior for o atrito dessa parte, menor será a qualidade da pele.

Especialistas indicam que apenas 13% de uma pele é de melhor qualidade, até 43% é considerado de boa qualidade e o resto é desperdício. Isto significa que as empresas que fabricam artigos de couro produzem uma grande quantidade de resíduos.

Após uma extensa pesquisa, o designer espanhol Jorge Penadés desenvolveu uma nova técnica de upcycling chamada Structural Skin ou “pele estrutural”, um novo método de produção que transforma o lixo das fábricas de couro aparentemente inúteis em um material inovador que é feito 100% de fonte animal e não usa qualquer resina química ou causa impacto ambiental no processo de fabricação.

Os descartes de couro são cortados num triturador elétrico e saem em formato de tiras. Depois as tiras são misturadas com cores diferentes e mergulhadas numa preparação de amido que permite unir o material com o auxílio de uma prensa. O resultado é um novo material reciclado que valoriza as qualidades inerentes do couro e usa sua expressão gráfica para gerar uma série de peças que vão um passo além da expressividade bidimensional do material. Veja abaixo como é feito e processo.

Com a estrutura rígida que sai da forma pode-se criar vários tipos de móveis e objetos. É só dar asas a criatividade. Fantástico!
Structural Skin - Novo material feito de resíduos de couro descartado stylo urbano

DEIXE UMA RESPOSTA