Até hoje, o maior impacto da tecnologia na indústria da moda foi em 1804 com a invenção do tear mecânico. Como primeira máquina programada do mundo, o tear Jacquard revolucionou a fabricação de tecidos, antecedendo e inspirando invenções que serviram de base para a computação moderna.

Nos séculos seguintes, a indústria da moda, agora avaliada em US$ 3 trilhões anuais, não teve um desenvolvimento tecnológico tão expressivo como outras indústrias, pois produzimos uma camisa da mesma maneira que fizemos há 100 anos. Mas isso está prestes a mudar pois estamos presenciando a fusão entre a moda e a tecnologia, através dos tecidos inteligentes.

A indústria da moda está sendo forçada a inovar

Como podemos usar novas tecnologias para fazer um produto melhor e produzi-lo de forma mais eficiente? Forçada pela invasão de empresas de tecnologia como a Amazon, que está desenvolvendo um novo sistema de fabricação automatizado de roupas para aumentar a sua quota de mercado de 6,6 para 16 por cento até 2021, a indústria têxtil e de moda está se vendo obrigada a inovar com o crescimento da Indústria 4.0.

Outros gigantes da tecnologia como Google, Apple, Intel e Samsung estão buscando parcerias com marcas de moda numa tentativa de ganhar espaço no mercado de tecnologia vestível que vai rivalizar com o smartphone. Tecidos inteligentes com circuitos e sensores incorporados em suas fibras poderiam ser uma resposta, transformando nossas roupas em computadores, proporcionando um leque de possibilidades nos setores de saúde e fitness, esportes, acompanhamento médico e entretenimento.

Os avanços recentes em nanotecnologia, biotecnologia, eletrônica orgânica e polímeros condutores estão criando tecidos multifuncionais com a capacidade de detectar e reagir a diferentes estímulos. Isso faz com que o monitoramento biométrico e ambiental com feedback em tempo real possível. A rápida adoção de tecnologias para tecidos inteligentes nas indústrias de vestuário e moda darão um impulso de US$ 130 bilhões para o mercado de wearables até 2025, segundo um relatório recente da consultoria de tecnologia chamada Cientifica intitulado Tecidos Inteligentes e Wearables: mercados, aplicações e tecnologias“.

Classificação de roupas inteligentes

Roupas inteligentes são um tipo de vestuário que tem implementado peças eletrônicas como microcomputadores e sensores. São usadas como roupa comum, proporcionando valor adicional para o usuário em virtude de tecnologias inovadoras. Na verdade, não existe uma classificação definitiva para tecidos inteligentes, que são geralmente divididos pela sua funcionalidade em 3 tipos.

A primeira geração. Tecidos inteligentes passivos

Tecidos inteligentes passivos são capazes apenas de perceber os dados sobre as condições ou estímulos do ambiente. Tal tipo de tecido contém apenas sensores. Os exemplos são roupas de proteção UV, roupas tratadas com plasma, tecido com sensores ópticos, etc.

A segunda geração. Tecidos inteligentes ativos

A segunda geração de tecidos inteligentes compreendem ambos os sensores e atuadores. Tecidos inteligentes ativos podem memorizar a forma, criar um efeito сamaleônico, regular a temperatura, resistir à água, absorção de vapores, absorver o calor e armazená-lo no tecido. São literalmente tecidos “inteligentes”.

A terceira geração. Tecidos ultra inteligentes

A terceira geração de tecidos é muito mais avançada. Eles podem não só detectar tipos de dados diferentes, mas também fazem previsões e se encaixam em condições externas sem ajuste preliminar. Esse tipo de tecido funciona com um “cérebro”, devido a um microcomputador embutido. Os exemplos deste tipo são roupas espaciais, jaquetas esportivas, jaquetas musicais, computadores portáteis e assim por diante.

A roupa inteligente Teslasuit é o maior exemplo pois simula calor, frio, vento, toque entre outros para que o usuário de realidade virtual possa sentir o mundo virtual com sua roupa.

De acordo com o Cientifica Research, existem 3 gerações de tecidos inteligentes:

  • A primeira geração tem sensores fixados ao vestuário;
  • A segunda geração de tecidos inteligentes tem sensores implementados;
  • A terceira geração de vestuário são eles próprios sensores.

Geralmente, a classificação roupas inteligente também é dividido em 2 tipos principais:

  • Tecidos eletrônicos com eletrônica clássica que é anexada à roupa inteligente.
  • Tecidos eletrônicos com eletrônicos incorporados ao tecido.

Um dos principais requisitos para as roupas inteligentes é uma possibilidade para lavá-las. Na verdade, para lavar o primeiro tipo de roupas inteligentes é necessário remover todos os componentes eletrônicos. Já as roupas inteligentes mais inovadoras podem ser lavadas completamente. Geralmente, as roupas inteligentes acompanham a diversidade das roupas comuns como: sapatos, sutiãs, lenços, ternos, vestidos, camisetas, casacos, calças, meias, palmilhas e capacetes. A fusão da moda com a tecnologia criará uma relação íntima entre corpo e roupa nunca antes experimentada.

DEIXE UMA RESPOSTA