Reet Aus é uma estilista da Estônia que conseguiu estabelecer seu nome como sinônimo da moda upcycling. Sua pequena marca chamada Reet Aus trabalha em parceria com uma fábrica têxtil de Bangladesh para produzir roupas femininas e masculinas utilizando somente  sobras de tecidos. As roupas da marca têm um impacto ambiental significativamente menor do que as roupas tradicionais produzidos em massa e incentivam os consumidores a lembrarem que suas escolhas de consumo, mesmo em relação à moda, tem um impacto socioambiental.

Reet Aus tem um PhD em design de moda sustentável. Ela escreveu sua dissertação sobre o uso do upcycling no design de moda. Seu trabalho foi documentado no filme “Out of Fashion“, que fala sobre os impactos socioambientais do fast fashion em Bangladesh, onde ela testemunhou a grande quantidade de retalhos que sobram dos cortes dos tecidos e que são jogados fora durante a produção em massa de roupas. A Beximco é uma grande corporação de Bangladesh que produz para redes de fast fashion internacionais e fez uma incrível parceria com Reet Aus para criar o projeto Upmade.

Reet Aus: Salvando o meio ambiente com a moda Upcycling stylo urbano-1

A produção têxtil é o principal carro chefe de exportações de Bangladesh, mas cada vez mais ouvimos falar sobre as terríveis condições de trabalho dentro de suas fábricas como aconteceu em 2013 com o desabamento do Rana Plaza onde morrerem 1124 pessoas e 2500 ficaram feridas. Esse foi o pior desastre na indústria da moda. Mas um dos exemplos mais éticos é a Beximco que emprega 32.000 trabalhadores e produz roupas para marcas mundialmente famosas como Tommy Hilfiger, Bershka, Calvin Klein e Zara, mas garantindo os direitos humanos e salários decentes.

Reet Aus: Salvando o meio ambiente com a moda Upcycling stylo urbano-2
A primeira peça produzida pela Reet Aus foi essa camiseta com a seta.

A Beximco produz 240 milhões de roupas por ano sendo que 18% dos tecidos são descartados como sobra do processo de corte das peças. Esses retalhos que são vistos como lixo são tecidos novos que não tem utilidade para a fábrica por causa de suas medidas desiguais de 10 a 30 cm. Para resolver esse problema, Reet Aus montou uma pequena linha certificada upcycling na mesma fábrica, treinando os funcionários para aproveitar os retalhos. A estilista visita a fábrica duas vezes por ano. Este é o lugar onde a coleção da Reet Aus com certificado de Upmade é produzido.

A ideia era reutilizar a grande quantidade de retalhos de tecidos da fábrica e com isso se tornar a primeira marca de moda upcycling que conseguiu produzir roupas em massa com os resíduos das produções de fast fashion. Isso evita que toneladas de sobras de tecidos novos acabem num aterro sanitário, além de reduzir a procura de novas fibras de algodão. O plantio de algodão convencional além exigir uma grande quantidade de água (cerca de 20 mil litros de água para 1 kg de algodão), é a fibra mais poluente do mundo pois necessita de uma quantidade impressionante de pesticidas e fertilizantes químicos.

Lookbook SS2016 WO-511_large-min

Por um lado, a indústria têxtil gera uma grande quantidade de restos de tecido, mas por outro lado, a indústria continua a prejudicar o meio ambiente produzindo novas fibras de algodão convencional. A moda upcycling feita de sobras é uma resposta lógica a este sistema ilógico. Uma característica interessante das roupas da Reet Aus é que cada peça possui um marcador único com o cálculo do seu impacto ambiental. Isso permite que os clientes saibam de forma transparente o quão sustentável sua roupa é. A mais recente coleção salvou 4.500 litros de água e emitiu menos 2.273 g de CO2 por cada peça.

Os preços das roupas da Reet Aus tem um valor médio para a Europa porque são produzidas em Bangladesh, onde os padrões de vida são mais baixos do que na Estônia. Mas se for comparar os itens feitos na mesma fábrica pela Reet Aus e a H & M, seus produtos são cerca de 10 vezes mais caros. Isso tem duas razões: a estilista paga duas vezes o valor do salário mínimo para os empregados e seus produtos são mais complexos e levam mais tempo para fabricar pois são cortados à mão.

Lookbook SS2016 -min

Como é uma marca de slow fashion, a Reet Aus fabrica bem menos com foco na qualidade, produção ética e consumo consciente, por isso o preço é maior. Fica da escolha dos consumidores se querem comprar roupas das grandes redes de fast fashion que produzem na Ásia de forma insustentável explorando a mão de obra de mulheres e crianças pobres ou comprar roupas de moda ética. As coleções upcycled da Reet Aus estão atualmente disponíveis em 12 lojas diferentes na Estônia, Alemanha, Finlândia, França, Suíça e no Reino Unido. No vídeo abaixo a estilista explica (em inglês) todo seu processo de fabricação.

DEIXE UMA RESPOSTA