A laranja é a primeira fruta a se tornar roupa com o lançamento da coleção cápusla da Salvatore Ferragamo.  A empresa italiana lançou a coleção com tecido de laranja da Orange Fiber para coincidir com o Dia Mundial da Terra, que é comemorado no sábado, 22 de abril, e com isso se coloca na vanguarda da moda circular. Com essa iniciativa, o grupo Ferragamo dá um passo em direção à moda sustentável, pesquisando materiais inovadores com os quais pode criar tecidos que lhes permitem lidar com a escassez de materiais e o impacto ambiental da indústria da moda.

O Orange Fiber (Fibra de Laranja) é um material inovador proveniente da indústria de frutas cítricas, onde se pode extrair a celulose dos resíduos do bagaço da laranja, criando um fio que tem um aspecto muito semelhantes ao da seda . A primeira parte do processo ocorre na Sicília, o segundo passo numa empresa que produz fios na Espanha e o terceiro (onde é convertido em tecido), novamente na Itália, na cidade de Como, no norte do país.

Em comparação com outras fibras recolhidas a partir de celulose, tais como os que vêm da madeira ou de bambu, o Orange Fiber é uma das melhores alternativas para a produção de novos tecidos. Com um toque macio e luminoso, o tecido de laranja pode ser tingido e estampado da mesma forma que os tecidos tradicionais. A Ferragamo é a primeira marca de moda a usar comercialmente o fio Orange Fiber.

A Ferragamo pediu ao arquiteto e designer Mario Trimarchi, que ganhou o prêmio internacional de design Compasso d’Oro no ano passado, para criar estampas exclusivas inspiradas no Mediterrâneo, em sincronia com as origens da fibra. Isto resultou em estampas que ecoam as belezas naturais da Sicília, com desenhos de frutas, nuvens e flores, às vezes flutuando em uma versão abstrata. A equipe de estilistas da Ferragamo criou uma coleção de blusas, vestidos, calças e lenços.

Orange Fiber é uma empresa italiana fundada em 2014 por Adriana Santanocito e Enrica Arena que criam tecidos sustentáveis ​​para a indústria da moda a partir de subprodutos de sumos de citrinos. Santanocito surgiu com a ideia de usar o bagaço da laranja depois de espremer seu suco, o que equivale a mais de 700.000 toneladas de resíduos só na Itália.

Enquanto trabalhava em sua dissertação em design de moda, Santanocito decidiu desenvolver o projeto com Enrica Arena, uma estudante de Comunicação e Cooperação Internacional, com o apoio da Universidade Politécnica de Milão. As estudantes conseguiram registrar uma patente italiana, que foi estendido para protocolo internacional nos EUA, Brasil, Índia, México e da União Europeia.

Em fevereiro, a empresa Orange Fiber ganhou o Global Change Award patrocinado pela H & M Foundation, onde recebeu US $ 141 mil. Lançada em 2015 pela H & M Foundation com o objetivo de financiar ideias que podem ajudar a proteger os recursos naturais da Terra, a empresa foi um dos cinco vencedores entre mais de 2.700 projetos vindos de 112 países.

Salvatore Ferragamo lança a primeira coleção do mundo feita com tecido de laranja stylo urbano

DEIXE UMA RESPOSTA